O Rei e O Cadáver – 4º ATO – Cena 7 da PC

Cadáver: …a qual nem ele, nem o sacerdote que realizou a cerimônia sabiam o que fazer. (Abre as cortinas. No cemitério). Bem, a que mão deveria o filho entregar sua oferenda? Se souber a resposta e não disser, voltarei para a árvore.

Rei: (Pensando por pouco tempo). A oferenda deveria ser colocada na mão do ladrão. O brâmane se vendeu, e o rei recebeu sua compensação com as peças de ouro. Foi o ladrão o homem que tornou possível ao príncipe nascer; seu tesouro pagou-lhe a concepção e o sustento. Além disso, o casamento qualificou-o como pai da criança.

Cadáver: Vossa majestade deve amar profundamente vossa filha. Está se esforçando bastante para concluir sua missão. (O Rei se controla para não dizer nada). Para deixar a noite mais divertida, contar-lhe-ei mais uma história.

Anúncios
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: